Seguidores

terça-feira, 25 de outubro de 2011

MAIORIA DOS DESMANCHES PERMANECE ILEGAL NO RS - Autoridades pensam em dilatar prazo. Primeiro que é um deboche, segundo que o que possui o negócio honesto, com certeza já fez o seu cadastro. Chega desta permissividade e "moleza" para os que não cumprem a Lei, tratá-lo como coitadinho, "pois se pediu muita documentação".. Já teve tempo demais para o cadastro. Fiscalização já, POIS ESTAS MESMAS AUTORIDADES, PERMISSIVAS, VÃO SER AS PRIMEIRAS A RECLAMAR DA POLÍCIA PELA ELEVAÇÃO DOS ÍNDICES DE ROUBO E FURTOS DE VEÍCULOS, MAS NÃO FAZEM A SUA PARTE.


Zero Hora - 25 de outubro de 2011

PRAZO VENCIDO

Quatro anos após aprovação de lei,

 apenas 13,4% das empresas

 de venda de peças se cadastraram

Não foi por falta de prazo. A Lei Estadual 12.745, que prevê a legalização de milhares de desmanches de peças existentes no Rio Grande do Sul, foi aprovada com pompa e circunstância em 2007. Passados quatro anos, apenas 403 empresas de venda de peças conseguiram reunir documentação suficiente para o cadastramento junto ao governo estadual.

Elas representam 13,4% do total de 3 mil desmanches existentes no Estado, segundo estimativa do próprio setor, reunido na Associação dos Empresários do Comércio de Peças Automotivas Novas, Usadas e Recondicionadas (Aecop/RS).

A estimativa (que seria baseada em dados da Brigada Militar) é precária, porque desmanches são uma atividade que, geralmente, rima com clandestinidade. É que muitos são locais de revenda de peças de veículos furtados ou roubados. Foi para tentar separar o joio do trigo que foi criada, em 2007, a lei proposta pelo deputado estadual Adroaldo Loureiro (PDT). Ela prevê, numa primeira etapa, cadastramento dos locais onde os veículos são desmantelados para venda de componentes.

O prazo foi aberto em 28 de março deste ano e não resultou em muito interesse. A procura estava tão baixa que o governo prorrogou de junho para agosto o período para interessados cadastrarem suas revendas.

As próprias autoridades desconfiam que o nível de exigências possa ter assustado os revendedores. A Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs) desenvolve campanha para divulgar a necessidade de cadastramento – mesmo que o prazo já esteja fechado, pode ser reaberto.

Agora o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) prepara um edital para credenciamento dos cadastrados. Essa etapa verificará se o interessado tem tudo que será exigido pela lei. Além de inibir venda de produto roubado, o governo vai garantir pagamento de impostos.

– Enviamos projeto de lei para concursar 24 funcionários para atuarem na fiscalização de desmanches. Até o fim do ano, abriremos o cadastramento e 2012 será o ano dedicado à fiscalização – anuncia Ildo Mário Szinvelski, diretor técnico do Detran-RS.

E os que não se adequarem? Szinvelski garante: a Polícia Civil e a BM serão chamadas a colaborar na fiscalização.

humberto.trezzi@zerohora.com.br
HUMBERTO TREZZI

Assista o Vídeo Institucional da Brigada Militar

Acompanhe nas mídias sociais

BM de Sapucaia do Sul auxilia Exército na instrução de preparação para a missão da paz da ONU