Seguidores

sábado, 14 de maio de 2011

É PRECISO SER HONESTO PARA OCUPAR CARGO PÚBLICO?


Tenho, reiteradas vezes, reclamado neste espaço da impunidade na qual se abrigam delinqüentes recorrentes e alguns deles, em razão da impunidade, cometem o disparate de debocharem da Lei, inclusive se manifestando em jornais discorrendo sobre as vantagens do negócio, apesar de a polícia lhes proporcionar reveses, pois sabem que restam soltos e seus processos não lhes rendem punições mesmo que passem da dezena.
Mas hoje quero me focar em outro tema, mas não vou me afastar da questão da impunidade e de delinqüentes, mas quero chegar a níveis mais altos, daqueles que surrupiam dinheiro público em seu benefício e maquiam seus gastos como se fossem legais e morais e, depois, e fico surpreendido com isto, alegam desculpas esfarrapadas, a exemplo de uma Ministra que nos finais de semana, sem agenda oficial, sacava diárias na Cidade na qual residia e justificou-se dizendo que a prática era a mais barata para os cofres públicos. Ora, mesmo com agenda, a diária é uma indenização. Se ela dormia em sua casa, qual o gasto a ser indenizado?
Minha opinião é bem clara: Para desempenhar um cargo público é necessário, dentre outros, valores como honestidade e ética. Verificado que a pessoa que ostenta o cargo não as possui que seja imediatamente exonerada, ou que renuncie.
Em alguns países políticos ou detentores de cargos públicos quando flagrados em corrupção, ou em suposta corrupção, ou em mau uso do dinheiro público de imediato renunciam e alguns até cometem suicídio. Aqui, nos trópicos, riem de nossa cara, debocham de nossa inteligência e nada acontece, exclusivamente pela preguiça e inércia da sociedade brasileira, em alguns casos, e pelo clientelismo em outros, pois se contentam com um punhado de favores para que se aquietem em seus cantos.
Recentemente um Deputado Gaúcho reuniu sua equipe de assessores em uma hotel SPA, no Rio Grande do Sul e todos os gastos da hospedagem foram custeados com dinheiro público, num total de R$ 18.900,00. Uma afronta, já que a cada dia que passam os governos querem aumentar impostos e criar taxas, entretanto o dinheiro público é gasto pelos políticos sem nenhuma parcimônia. O gasto pode ter sido legal, mas com certeza imoral. Existem uma série de auditórios do Estado nos quais o Deputado poderia ter reunido sua equipe e discutido as metas de seu mandato. Agora poderíamos perguntar quantas horas de reuniões ocorreram e quantas foram de lazer pelo SPA, custeada pelo suado dinheiro dos contribuintes?
A história nos mostra que por causa de altos impostos revoluções surgiram, a exemplo da Inconfidência Mineira, por causa da “derrama” que taxava excessivamente a mineração do ouro em Minas Gerais e a Revolução Farroupilha, em razão das taxas abusivas sobre o charque gaúcho.
Hoje os impostos tomam mais de 30% da renda das pessoas e se não bastasse isto vemos políticos gastando o dinheiro público ou dele se apropriando com a maior cara-de-pau.
 E ficaremos impassíveis observando tudo isto?
Renúncia ou exoneração dos desonestos e daqueles que usam as verbas públicas sem ética, só para começar.

Major Ronie de Oliveira Coimbra

Assista o Vídeo Institucional da Brigada Militar

Acompanhe nas mídias sociais

BM de Sapucaia do Sul auxilia Exército na instrução de preparação para a missão da paz da ONU