Seguidores

quinta-feira, 5 de maio de 2011

COLUNA DO JORNAL LÍDER DO VALE DESTA SEMANA EM PRIMEIRA MÃO


NÃO ESTAMOS DE BRAÇOS CRUZADOS.

Semana passada, neste jornal, na página 09, houve manifestação do Edil Vereador Jarbas Sampaio, inicialmente comentando sobre a violência escolar e o quanto isto o impressiona; e depois indagando o que as autoridades de segurança  e de Educação do Estado do Rio Grande do Sul, entre outros, estão fazendo para que isto não aconteça aqui no Estado e em Sapucaia do Sul e acrescentou que não podemos ficar parados de braços cruzados esperando que isto aconteça no Estado e que estas ações devem começar agora, a fim de tranqüilizar toda a comunidade.
Em 04 de maio de 2011, na 3ª reunião do Conselho de Segurança Escolar do ano – Conselho que já está em seu segundo ano de funcionamento - fiz questão de apontar a matéria. Estavam presentes o Presidente da Câmara de Vereadores de Sapucaia do Sul, Secretario Municipal de Educação, Coordenador da 27ª Coordenadoria Regional de Educação do RS, Conselheira Tutelar, Representante da Secretaria Municipal de Segurança e Trânsito, este colunista e o Capitão Vargas, e em torno de 50 professoras e professores da rede escolar de Sapucaia do Sul, todos colhendo os frutos de um trabalho, mediante parcerias, que não se iniciou após um fato latismável que ocorreu no Rio de Janeiro, e sim, de longa data.
Admiro o Vereador Jarbas, eis que em todas as manifestações que fez e eu estava presente, sempre se houve muito bem, pois é um excelente orador e pensa excelentes idéias e no caso da expectativa de violência nas escolas eu compreendo sua aflição. Entretanto no que refere à matéria, aqui em Sapucaia do Sul o texto não encontra correspondência. Não estamos de braços cruzados, pois enxergamos a comunidade escolar como um segmento vulnerável e que necessita de nossa atenção. E isto não fica somente no discurso, pois temos boas práticas, não recentes, executas por excelentes profissionais, como o PROERD (Programa Educacional de Resistência as Drogas e a Violência) que alcançam em torno de 1300 crianças por semestre; o Quartel Tri-legal , ocasião que crianças visitam o nosso quartel, conhecem e desmitificam a profissão policial militar e; desde 2010, a instauração do Conselho de Segurança Escolar de Sapucaia do Sul, integrado multidisciplinarmente, que ocorreu  concomitante com a criação da Patrulha Comunitária de Motociclistas – inicialmente com cinco motociclistas, hoje com oito – que atende prioritariamente as Escolas de toda a rede de Sapucaia do Sul, grupamento este  que recebe muitos elogios pela celeridade na prestação de serviços quando acionados pelas escolas e por sua produtividade.
Percebe-se que não é pouca coisa e não estamos de braços cruzados, muito pelo contrário e isto que falo pela Brigada Militar. Tenho convicção de que outros órgãos públicos também trabalham duro para que a comunidade escolar esteja mais segura.
Temos muito o que fazer ainda, mas esta é outra discussão.


Ronie de Oliveira Coimbra
Major – Cmt do 33º BPM de Sapucaia do Sul




Assista o Vídeo Institucional da Brigada Militar

Acompanhe nas mídias sociais

BM de Sapucaia do Sul auxilia Exército na instrução de preparação para a missão da paz da ONU