Seguidores

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Será que a Justiça está a olhar a quem? Fortunati sugere interdição do Palácio do Piratini e de outros prédios públicos.

Confira a entrevista, em áudio, no link abaixo:

Balanço com dezenas de edificações que estariam fora das normas foi solicitado pelo prefeito da Capital após a Usina do Gasômetro e Porto Seco serem interditados

A ausência de um Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio pode fazer com que os principais prédios públicos de Porto Alegre tenham que fechar as portas temporariamente até que estejam adequados às normas. A lista abrange algumas dezenas de edificações, entre elas o Palácio Piratini, Tribunal de Justiça, Foro Central, Centro Administrativo e Assembleia Legislativa. 

O balanço foi solicitado pelo prefeito José Fortunati após dois prédios do município terem sido interditados por falta do PPCI: a Usina do Gasômetro e Porto Seco.

Após levantamento realizado em documentos público, "estranhamente o Ministério Público e o Judiciário não tomaram nenhuma medida contra estes outros prédios", ataca o prefeito, em entrevista nesta terça-feira à Rádio Gaúcha. 

Fortunati indaga se a partir de hoje o Ministério Público tomará as mesmas ações tomadas em relação aos prédios da Prefeitura de Porto Alegre. Durante entrevista ao programa "Gaúcha Atualidade" o prefeito demonstrou indignação e sugeriu que há perseguição ao município.

Assista o Vídeo Institucional da Brigada Militar

Acompanhe nas mídias sociais

BM de Sapucaia do Sul auxilia Exército na instrução de preparação para a missão da paz da ONU