Seguidores

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Coluna no Jornal Lider do Vale (10) desta semana em primeira mão

COMUNIDADE ALERTA

Há algum tempo atrás escrevi, nesta coluna, sobre a prática do  Estado americano da Califórnia -  que aplicava a regra do “três está fora” - onde a Lei prevê a prisão perpétua para todos os que forem condenados pela terceira vez, independente da natureza dos crimes cometidos. Reporto-me a esta questão, pois os policiais militares do 33º BPM, recorrentemente, estão a prender pessoas, cometendo crimes, que já estão com uma lista enormes de acusações, prisões em flagrante delito e processos, e estas estão nas ruas, a assombrar as pessoas. Fenômeno semelhante ocorre com os foragidos do sistema prisional, que se evadem aproveitando a progressão do regime de fechado para o semi-aberto, e muitos estão sendo recapturados em Sapucaia do Sul, praticamente todos os dias.  Muitos destes foragidos tem antecedentes pela pratica de delitos graves como homicídios, roubos realizados com arma de fogo, porte ilegal de arma, tráfico de drogas etc. As perguntas que faço são as seguintes: Como, com toda esta “fichinha” de antecedentes, eles conseguem progredir do regime fechado para o semi-aberto? Ou o porquê daquelas pessoas, apesar de visivelmente refratárias a vivência em sociedade, contumazes infratores da lei, muitas vezes com gravidade, restam em liberdade?
Alguns, após lerem as minhas perguntas, responderão, com a máxima desgastada, que isto acontece porque a lei prevê. Ora, então, a meu juízo, já está na hora da sociedade reunir esforços e clamar pela mudança legislativa. E não me venham com desculpas de que o sistema prisional é perverso, é uma faculdade do crime, pois a pessoa que comete crimes optou por assim fazê-lo. Ela tinha a opção de ser virtuosa e honesta, mas escolheu o caminho oposto de livre arbítrio e tem que arcar com as conseqüências de sua escolha.
Encontramos várias teses para as causas da violência e da criminalidade, dentre elas, prepondera à social, pela falta de oportunidades, pela injustiça social, pela infâmia da desigualdade etc. Os “eruditos”, estes que fazem suas análises do conforto de suas escrivaninhas, sem sequer saber a geografia de uma vila, ou o cheiro dela, ou em que situação encontram-se as pessoas, pois nunca colocaram os pés por lá, até podem ter razão, mas isto não implica, que em nome  disto,  os que infligiram a lei, ameaçaram pessoas, lhe causaram terror e trauma, não sejam responsabilizadas, e severamente, pelo que fizeram.
O sistema prisional é ruim, melhorem-no. A distribuição de renda é injusta no Brasil, consertem. A saúde, educação e segurança pública são ineficientes, pois que os governantes invistam mais recursos para que as pessoas sejam bem assistidas. Tenho escrito no meu blog, parafraseando a RBS, que ISTO TEM QUE MUDAR. E quem provoca a mudança?  A sociedade, os cidadãos que a compõem, em nome da democracia é que provocam a mudança. Portanto, se estão descontentes provoquem a mudança. Agora, se pensam que é natural um bandido, que comete um assalto,  ser preso hoje e amanhã estar na rua lhes assaltando novamente, deixem tudo como está.
Aguardo as manifestações: www.roniecoimbra.blogspot.com ou pelo twitter: @roniecoimbra.
Major Ronie de Oliveira Coimbra

Assista o Vídeo Institucional da Brigada Militar

Acompanhe nas mídias sociais

BM de Sapucaia do Sul auxilia Exército na instrução de preparação para a missão da paz da ONU