Seguidores

terça-feira, 19 de abril de 2011

POLÍCIA NAS ESCOLAS: SOLUÇÃO? Coluna publicada no Jornal Líder do Vale desta semana.

 
Hoje, por uma série de razões, dentre as quais cito a imprensa, a sociedade em geral tem a percepção de que a violência está incorporada ao ambiente escolar  o que suscita um debate acerca das estratégias mais eficazes para superar as dificuldades que este problema apresenta. Neste contexto a polícia surge, em muitos casos, como um elemento central e acaba sendo apontada como uma alternativa para solucionar os problemas de segurança e violência.
Minha experiência me permite dizer, em razão das Unidades da Brigada Militar nas quais trabalhei, principalmente em Porto Alegre, e agora em Sapucaia do Sul, que nos últimos anos os sistemas de ensino têm recorrido à polícia para enfrentar a expectativa de violência nas escolas e aqui, especificamente, construímos ações especializadas para esse fim, a exemplo do Conselho de Segurança Escolar, do PROERD, do Quartel Tri-legal, palestras e visitas nas escolas, todas com o fito de conversarmos sobre segurança pública e violências, a exemplo do bullying, e, mediante conjugação de esforços, encontrarmos soluções.
Devine (1996), um estudioso da violência nas escolas de Nova Iorque dizia que a polícia passou a fazer parte da rotina escolar num contexto de mudança do modelo de relacionamento entre escola e comunidade e, em razão disto, novas situações foram geradas, com as quais professores, diretores e funcionários não estavam acostumados a lidar.
Mas, em síntese, quero dizer duas coisas: primeiro que hoje a polícia ingressa na escola de várias formas, seja através do PROERD, seja através de palestras e visitas e, a meu juízo, a Brigada Militar não extrapola suas funções legais com estes ingressos, pois desta forma executa uma de suas principais missões  que é prevenir crimes e violências; segundo que as questões disciplinares no âmbito escolar não devem ser repassadas para a polícia, eis que tal medida poderá criar distanciamento das crianças e adolescentes dos professores, até mesmo porque temas como violência e criminalidade devem ser uma preocupação do corpo diretivo e técnico da escola e debatidos pelos professores em sala de aula, o que demonstra aos alunos preocupação por parte dos professores de resolver os problemas.
O tema é interessante e pode ser controverso. Por gentileza, se tens opinião divergente, se concordas ou se queres complementar, envie sua opinião e cresçamos juntos com o debate.
Abraços e feliz Páscoa a todos os leitores.
Ronie de Oliveira Coimbra
Major – Cmt do 33º BPM de Sapucaia do Sul
 
www.roniecoimbra.blogspot.com
e-mail: Coimbra@brigadamilitar.rs.gov.br
Twitter: @roniecoimbra
Facebook: roniecoimbra
 
 

Assista o Vídeo Institucional da Brigada Militar

Acompanhe nas mídias sociais

BM de Sapucaia do Sul auxilia Exército na instrução de preparação para a missão da paz da ONU