Seguidores

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

COLUNA COMUNIDADE ALERTA DO JORNAL LIDER DO VALE DESTA SEMANA EM PRIMEIRA MÃO...


ÀS VEZES SÓ RESTA A VONTADE DE CHORAR
Hoje pela manhã estava circulando por Novo Hamburgo e parei no sinal e percebi uma mãe que empurrava um carrinho de bebê, com seu filho. Concentrei-me e via que aquilo não era um passeio, era um rali ou cross-carrinho de bebê, pois as calçadas eram desniveladas, esburacadas e as partes rebaixadas não permitiam acesso suave, pois estavam em mau estado e desniveladas, também.
Permito-me dizer que isto não é um “privilégio” da cidade de Novo Hamburgo, pois se perguntarmos as pessoas que saem com seus filhos para passear nos carrinhos de bebê como são as calçadas nas cidades, a grande maioria irá reclamar das condições do passeio público, às vezes intransitável para pedestres, imaginemos para as mães que empurram os carrinhos com seus filhos.
Sabemos que a responsabilidade pela manutenção dos passeios é do proprietário, mas cabe ao poder público fiscalizar se os cidadãos conseguem ao menos andar pelas calçadas, pois das ruas eu nem vou falar, AGORA. Eu, na condição de cidadão já ouvi muitas desculpas das autoridades, como a de que não tem fôlego para fiscalizar, faltam fiscais, os munícipes não cumprem com suas obrigações ou falta dinheiro. Esta eu deixei por último propositadamente, pois dinheiro para os governos, com esta carga absurda de impostos, não pode faltar, mas de jeito nenhum.

PRECISO SABER QUAL É A MÁGICA!!!
Há muito tempo atrás li, na revista Veja, uma matéria que abordava a situação dos Generais que tinham exercido a Presidência da República, e todos eles, sem exceção, viviam com suas pensões, sem terem enriquecido.
Hoje, eu fico a me perguntar como que alguns políticos conseguem, após o exercício de um ou dois mandatos eletivos, multiplicarem seu patrimônio por 20 ou mais vezes? Ou como conseguem que os negócios ou as empresas de seus filhos e parentes, antes medíocres e deficitários, se tornem extremamente lucrativos? Qual a prática mágica que os faz ganharem dinheiro no exercício de um cargo público e eletivo, quando, antes, exclusivamente dedicados ao seu trabalho, não conseguiam?
Valho-me da frase de William Shakespeare, dita por seu personagem Hamlet: "Tem algo de podre no reino da Dinamarca"? Aqui trocamos a Dinamarca pelo Brasil.

Abração
Major Ronie Coimbra – Cmt do 33º BPM

Assista o Vídeo Institucional da Brigada Militar

Acompanhe nas mídias sociais

BM de Sapucaia do Sul auxilia Exército na instrução de preparação para a missão da paz da ONU